terça-feira, 26 de julho de 2016

150 coisas para fazer em São Paulo pelo menos uma vez na vida: Quantas eu já fiz?

Essa belíssima lista foi feita pelo Iran Giusti e publicada no Buzzfeed. E, bom, para saber quais dessas coisas euzinha já fiz, resolvi dar um ctrl+c e ctrl+v e ir riscando o que já fiz. Vamos lá!

enhanced-buzz-wide-14677-1457112760-7

  1. Pisar em toda a América Latina na maquete do Memorial.
  2. Pedalar no Minhocão em um final de semana. Ele é aberto para pedestres e ciclistas de segunda à sexta, das 21h30 às 6h30 e 24 horas aos finais de semana.
  3. Alargar bastante o passo para conseguir descer a escadaria do MASP. E aproveitar uma das maravilhosas exposições do museu. Última exposição que fui em 2015: Acervo em Transformação com os cavaletes de Lina Bo Bardi.
  4. Ficar um bom tempinho na fila do Municipal mas ser compensado com um lindo balé da cidade. Ou pode pular a fila e comprar por aqui.
  5. Assistir algum show grátis no Vale do Anhangabaú.
  6. Tomar um café na esquina da Avenida Ipiranga com a Avenida São João e cantarolar mentalmente a música do Caetano.
  7. Assistir um desfile das clássicas Vai-Vai ou Rosas de Ouro no Sambódromo do Anhembi. (já assisit o desfile das escolas de acesso: conta? :P)
  8. Tomar uma dose de leite de onça no Bar da Dona Onça enquanto admira o Copan.
  9. Visitar o lindo saguão da prefeitura depois de atravessar o Viaduto do Chá.
  10. Assistir uma apresentação do coral do Mosteiro de São Bento e — se estiver milionário — tomar o café da manhã lá (sério, custa cerca de R$ 180).
  11. Visitar os corpos dos estudantes mortos, além de 713 ex-combatentes no Obelisco Mausoléu. Saiba mais aqui.
  12. Ver os detalhes do Viaduto Santa Ifigênia e aproveitar para comprar uns produtos eletrônicos na região.
  13. Assistir uma celebração de missa na Catedral da Sé.
  14. Dar um passeio no local sede da fundação da cidade, o Pateo do Collegio.
  15. Buscar uma obra rara na Biblioteca Mario de Andrade.
  16. Assistir a um concerto na Sala São Paulo e ficar chocado com a beleza do edifício.
  17. Beber um drink no bar Sky vendo aquela vista linda depois de admirar a arquitetura do Ruy Ohtake.
  18. Subir até o terraço Itália e comer uma sobremesa com vista do centro da cidade.
  19. Descer na estação Sumaré do Metro e ficar vendo as obras do artista plástico Alex Flemming — e se tiver coragem saltar de la de Bungee jumping.
  20. Fazer um piquenique com amigos na Praça Por do Sol.
  21. Ficar com as pernas doendo depois de fazer a trilha do Pico do Jaraguá.
  22. Se apaixonar reprodução da Villa italiana, no topo do edifício Martinelli.
  23. Ficar completamente destruído na trilha do parque Cantareira e ao mesmo tempo mesmerizado quando chega na Pedra Grande. (fui há tantos anos que nem lembro mais)
  24. Visitar os espaços escondidos do Parque Ibirapuera, como a Serraria, e curtir um pouco de paz.
  25. Participar o festival da Cerejeira no Parque do Carmo.
  26. Perder umas boas horinhas visitando a biblioteca São Paulo, no Parque da Juventude.
  27. Andar de Skate ou só ficar tomando uma cervejinha vendo a banda passar na Praça Roosevelt.
  28. Tirar um domingo para visitar o jardim Botânico e fazer as mini trilhas fofas que tem por lá.
  29. Pedalar pelas ciclofaixas de lazer no final de semana.
  30. E, se estiver na vibe, se juntar ao grupo de pedalada que visita o centro velho da cidade.
  31. Ir em uma das festas que rolam Nos Trilhos.
  32. Celebrar o Ano Novo Chinês e o Japonês na Liberdade. (foto de 2015)
  33. Desbravar os food trucks da Rua Augusta durante o dia.
  34. Tomar uma cerveja no Bahia, também na Augusta.
  35. E ainda na região comer uma coxinha no BH Lanches.
  36. Depois disso tudo, encarar uma das mil baladas da rua.
  37. Em um dia mais tranquilo, tomar uma cervejinha no Marokita, na Avanhandava.
  38. Ver uma corrida no autódromo de Interlagos.
  39. E ficar correndo atrás das galinhas no Parque da Água Branca.
  40. Fazer uma selfie no Beco do Batman.
  41. Visitar TODAS as 17 unidades do SESC e eleger a sua preferida. (já visitei 5, inclusive tem fotos no meu Instagram em quase todos elas: SESC Santo Amaro, SESC Pinheiros, SESC Vila Mariana, SESC Campo Limpo, SESC Consolação – quando eu era criança, fui ao SESC Interlagos, mas não lembro de nada, rs)
  42. Acompanhar um sarau na Casa das Rosas.
  43. Fazer uma visita guiada pela Faculdade de Direito do Largo do São Francisco. (já fiz uma visita não-guiada, conta? :P)
  44. Ficar de queixo caído com a Casa Modernista.
  45. Se perder em meio às estantes da Livraria Cultura do Conjunto Nacional. Amo muito! ♥
  46. Assistir uma peça na Vila Maria Zélia e torcer muito para que role a revitalização.
  47. Lutar para conseguir chegar na Casa de Vidro, mas se dar conta de que vale super a pena porque é lindo.
  48. Ir no sambão no sábado na Praça Dom José Gaspar. (não foi no sábado, mas foi numa sexta, eita samba da vela!)
  49. E aproveitar para dar aquela espiada na Biblioteca Mario de Andrade.
  50. E quem sabe tomar um drink na Galeria Metrópole.
  51. Comer um pão quentinho na centenária Padaria São Domingos.
  52. Bater uma comida árabe no meio da loucura da 25 de Março.
  53. Visitar o Solar da Marquesa de Santos imaginar como era morar lá.
  54. Ou então entrar no Casa da Imagem e se dar conta que você está na primeira residência da cidade.
  55. Conseguir enxergar todos os detalhes do vitral da Caixa Cultural.
  56. Sentir um frio na espinha ao entrar na cripta da Catedral da Sé.
  57. Visitar o túmulo das personalidades históricas no Cemitério da Consolação.
  58. Passear por Paraisópolis até chegar à casa da Casa de Pedra.
  59. Fazer um curso na Casa Mário de Andrade, onde viveu o escritor.
  60. Assistir uma sessão no Planetário e comer uma pipoca doce assim que sair.
  61. Ficar encantado com o borboletário do Catavento Cultural.
  62. E adorar os peixinhos e peixões do Aquário da Cidade.
  63. Sentir arrepios mas ficar encantado com os répteis do Instituto Butantã. (inclusive, tenho uma foto segurando uma cobra de lá)
  64. Se esbaldar no lanche do Seu Oswaldo.
  65. E também em um bauru gigante do Ponto Chic.
  66. Se sentir muito futurista visitando a parte tecnológica do Museu do Futebol.
  67. Tirar um dia todo para visitar o Museu de Arte Contemporânea.
  68. Ver uma peça estranha no Satyros e sair um pouco chocado.
  69. Comer um sanduíche de Pernil no Estadão, a qualquer hora do dia.
  70. Assistir a um show no Auditório Ibirapuera e ficar encantado com o foyer da Tomie Ohtake.
  71. Tirar uma tarde para visitar a Pinacoteca, tomar um lanche no café flor e passear no Parque da Luz. Última vez que fui lá: Exposição do Ron Mueck (2015).
  72. Fazer umas comprinhas no Bom Retiro e ficar muito feliz por pagar R$ 10 em uma blusinha.
  73. Ficar três horas em uma fila de uma exposição do MIS só pela experiência. (ibagens: Castelo Rá-Tim-Bum (2015) e Tim Burton (2016).
  74. E depois comer o nhoque rústico do Chez MIS. (nunca foi pois: sou pobre)
  75. Perder-se no meio da loucura que é a curadoria do Museu Afro Brasil.
  76. Encantar-se com a estrutura do Red Bull Station.
  77. Assistir a um filminho grátis na Galeria Olido.
  78. Ir em uma feirinha na Praça das Artes. (fui na exposição da Mafalda, conta?)
  79. Descobrir mais sobre seus ancestrais no Memorial do Imigrante. (sabe aquele ancestral direto imigrante – tipo aquele avô/bisavô italiano/alemão? então, não tenho :P – porém, amo a Festa do Imigrante! ♥)
  80. Ver um musical grandioso no Teatro Renault. “Mudança de Hábito” (2015)
  81. Assistir uma peça de três horas do Zé Celso no Teatro Oficina e reclamar para o resto da vida.
  82. Comer uma macarronada nas cantinas do Bixiga.
  83. E desbravar a fila da Festa da Nossa Senhora Achiropita para comer uma fogazza maravilhosa.
  84. Assistir um filme alternativo no CineSesc.
  85. Ou então um filme blockbuster em uma sala chique, tipo as do shopping Cidade Jardim.
  86. Dar uma sambadinha na apresentação de chorinho dos velinhos da Praça Benedita Calixto, aos sábados. Sambinha ano passado! Tão bão!
  87. E também comer uma comidinha típica do Belém do Pará.
  88. Comer um sanduíche de mortadela no Mercado Municipal.
  89. Garimpar uma pechincha na feirinha de antiguidades do Bexiga.
  90. Comprar frutas e plantas no Ceagesp.
  91. Comer uma comida típica boliviana na Feira Kantuta.
  92. Tomar um café e comprar alguns livros em uma das unidades da Livraria da Vila.
  93. Beber uma cerveja no Bar da Loca e bater um papo com o Zé das Medalhas.
  94. E depois ir para o Charm da Paulista que fica aberto 24 horas.
  95. Tomar um chá completo na Fundação Ema Klabin.
  96. Se encantar com a estrutura da Casa de Dona Yaya e ficar super chocado com história da antiga moradora.
  97. Sentir um frio na espinha ao entrar em uma das celas do Memorial da Resistência. Pesado! Beatriz Guedes me chamou para ir nesse lá em 2012, nunca esqueço a sensação de estar dentro da cela ouvindo os relatos de quem foi preso e torturado lá :’(
  98. Meditar no Pavilhão Japonês e depois visitar o acervo do prédio.
  99. Descobrir um pouco mais sobre a cultura alemã no Instituto Goethe.
  100. Aplaudir de pé o sarau Cooperifa.
  101. Ficar encantado com a arquitetura da Casa Vilanova Artigas.
  102. Chocar-se com a grandiosidade do Centro Cultural Correios de São Paulo e se perguntar como nunca tinha ido lá.
  103. Mergulhar no filé à parmegiana do Degas.
  104. Ou então no Polpettoni do Jardim de Napoli.
  105. Conhecer o recém inaugurado Museu Judaico de São Paulo.
  106. Andar de bike no Parque Villa-Lobos.
  107. Ver o painel escondido do Cândido Portinari na galeria Galeria Califórnia.
  108. Passear pelo meio do canteiro de obras da Vila Itororó.
  109. Sentir-se nos primórdios da cidade visitando a Casa do Bandeirante.
  110. Acompanhar uma das apresentações do Ilú Obá De Min.
  111. Fazer mil fotos em um bondinho no Museus dos Transportes Públicos.
  112. Deixar o seu relato no Museu da Pessoa.
  113. Ver a beleza das diferenças do Museu da Diversidade Sexual.
  114. Pegar o Expresso Turístico e ir para Jundiaí ou Mogi das Cruzes.
  115. Tirar um dia zen e visitar o Templo Zu Lai.
  116. Ou então meditar um pouco no Solo Sagrado de Guarapiranga.
  117. Sair desbravando a Cidade Universitária e ver o que rola de programação no dia.
  118. Tomar um sol na lage do Centro Cultural São Paulo.
  119. Ver um filminho em uma das muitas mostras da Cinemateca Brasileira.
  120. Assistir uma apresentação de Jazz na Casa de Francisca.
  121. Ver pelo menos uma Bienal de Arte de São Paulo de cabo a rabo.
  122. Fazer uma longa trilha no Parque Estadual do Juquery.
  123. Comer uma farta porção de Bolinho de Arroz do Ritz.
  124. Comprar um pôster maravilhoso na Feira Plana, uma das maiores feiras de arte impressa do país.
  125. Juntar uma galera e ir ao Salão do Automóvel.
  126. Assistir uma final de campeonato no Pacaembú.
  127. Ver um grande show internacional no Morumbi.
  128. Comer um pastel na barraca do Seu Zé, na feira do Pacaembú. (não sei se foi na Barraca do Seu Zé, mas já comi pastel na feira do Pacaembú ♥)
  129. Fazer um bate e volta e comprar um artesanato em Embu das Artes.
  130. Ver o tapete de Corpus Christi em Santana do Parnaíba.
  131. Comprar uma camiseta de banda na Galeria do Rock.
  132. Tomar uma cervejinha na Vila Madalena. (como eu não bebo, vou considerar o dia em que fui numa hambuergueria lá cozamigo gringo/churras no hostel ♥)
  133. Se acabar no samba da Praça Roosevelt, o Vai Se Quiser.
  134. Assistir a largada de uma Corrida de São Silvestre.
  135. Se perder para encontrar o Centro Cultural São Paulo.
  136. Curtir um rock no Café Piu-Piu ou no Hangar.
  137. E dançar um forró delícia no Canto da Ema.
  138. Comer uma tapioca no Centro de Tradições Nordestinas.
  139. Assistir a uma peça no Teatro Centro da Terra.
  140. Ir em uma festa na Casa das Caldeiras.
  141. Ouvir uma musiquinha e comprar um livro muito surrado na Passagem Literária da Consolação.
  142. Fazer um tour guiado pelo metrô de São Paulo.
  143. Comer uma coxinha no Frangó e depois passear pela praça da Matriz.
  144. Desbravar o Centro Universitário Maria Antônia e descobrir que por ali rolaram muitas tretas antes da ditadura.
  145. Assistir uma peça no Tucarena e saber um pouco mais sobre a história da cidade.
  146. Folhear um exemplar raro na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin.
  147. Comprar um Vinil (mesmo que para decoração) no Feirão da Mocca.
  148. Andar de skate no parque Zilda Natel, perto da Sumaré.
  149. Visitar a imponente Catedral Metropolitana Ortodoxa, na Vergueiro.
  150. Passar pelo menos um carnaval na cidade.

Bom, risquei 27 coisas da lista. E vocês, já fizeram quantas? :)

~vou atualizar isso aqui conforme for fazendo mais coisas por Sampa City~

xoxox,

Mari! ♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário