sexta-feira, 5 de julho de 2013

Músicas mais marcantes da semana

How to be a heartbreaker – Marina & The Diamonds

Ps.: Difícil escolher, mas acredito que este vídeo bateu aquele dos
moços sem camisa da
Abercrombie & Fitch – por motivos de: moços sem camisa + chuveiro.

Il fatto è che io sempre gosto de músicas sobre partir corações, especialmente as que retratam a pessoa que parte o coração, o heartbreaker – agora, se eu sou uma heartbreaker ou uma heartbronken, é outro assunto…

How to be a heartbreaker foi apresentada a mim por uma amiga da faculdade e pertence à Marina & Diamonds – adivinhem o nome da minha amiga, rs! A … me passou a música por bluetooth há algum tempo, mas eu só fui escutar para valer essa semana – após o meu fone de ouvido do celular, que eu tinha dado como disperso no caos primitivo, ter ressurgido das cinzas e retornado a mim, por intermédio da minha english teacher. ENFIM, sabe aquela música que você coloca no repeat e fica ouvindo durante muito tempo? Foi o caso desta! Amei, amei, amei! Além disso, quando presta-se atenção nas rules, um heartbreaker tem que dar um sorriso maléfico de satisfação:

 

Só para finalizar, outras músicas que eu curto, com a mesma temática: Break Your Little Heart – All Time Low e Break Your Heart – Taio Cruz feat. Ludacris – as quais, poderei vir a comentar em outros posts.

Isabella Of Castile – Starfucker

Eu descobri essa música no Super Player – o que é o Super Player? É assunto um próximo super post – e super gamei/adorei! É muito calma, suave, logo, bem ao estilo indie. Outra ponto que me fez gostar dela, foi a referência histórica, explicitada no título, à Isabel I de Castela, Rainha de Castela e Rainha-Consorte de Aragão, a qual, é a mãe de Catarina de Aragão, a primeira esposa, das seis, do Rei Henrique VIII da Inglaterra – The Tudors, ♥! Lendo um pouco mais sobre a Isabel, dois acontecimentos são importantes na trajetória dela: o título, recebido juntamente com o Rei Fernando II de Aragão, de Reis Católicos e fato de ter apoiado Cristóvão Colombo na busca pela Índias, que acabou do “descobrir” a América – sim, eu amo história.

Letra da música é tão curtinha, que vou resolvi colocá-la aqui, em seguida:

I know I should go,

but I want to stay here with you,

in this room, I can tell

you'll never be all mine

 

never mine

ok

 

I know you have to go,

but I want to keep you to myself,

like a dream, I can tell

you'll never be all mine

Fiquei escutando-a durante algumas horas da madrugada, enquanto terminava um trabalho da faculdade. Pode até parecer que, por ser calma, tenha me feito dormir, mas não… fiquei acordada escutando-a. Deu uma paz, mas não monotonia. Não sei explicar, só sei que Isabella of Castile tem uma vibe muito boa!

Ps.: fiquei refletindo sobre a letra da música, e numa acepção bem subjetiva, imaginei se o eu não seria a Isabel. Em you’ll never be all mine, pode apontar a infidelidade do Rei – porque rei fiel eu nunca vi, eles sempre tem um harém de cortesãs –, apesar da Isabel querer ficar com ele, querer amá-lo, ir além de suas “obrigações” como consorte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário